Ciro Nogueira critica lockdown: “Castigo para o povo”

Ananias Ribeiro Ananias Ribeiro

O senador Ciro Nogueira, presidente nacional do Progressistas, criticou o lockdown parcial decretado pelo governador Wellington Dias no final de semana como forma de conter o avanço da Covid-19.

“O lockdown no Piauí não é só um castigo para o povo. É um dos capítulos mais tristes de nossa história, de quando um governo usou uma calamidade pública para fazer caixa eleitoral, para encobrir seus próprios erros e incompetências, para desviar a atenção e culpar o governo federal por todos os leitos e vagas de UTI que, mesmo tendo dinheiro em abundância, o governo do Piauí não fez ou não quis ou não soube fazer”, disse Ciro.

“O lockdown é a história de um governo rico de caixa e pobre de ações. Enquanto isso, as mortes aumentam e o drama da pandemia no Piauí se alastra e a politicagem governa o nosso estado. Muito triste”, completou o senador do Progressistas.

Ciro Nogueira ressaltou os repasses oficiais do governo federal para a saúde e para o enfrentamento à pandemia da Covid-19 para atacar o lockdown no Piauí.

“O governo está usando uma tragédia humanitária como instrumento político para fazer uma cortina de fumaça e esconder seus erros administrativos e o mais grave: o governo do Piauí está usando o lockdown para desviar o foco e a atenção dos piauienses para uma das mais perversas políticas públicas engendradas por qualquer governo em qualquer momento de nossa História”, falou Ciro.

“Enquanto alardeia o caos e, com isso, apavora a população, paralisa a economia, destrói a vitalidade do comércio, mutila milhares de empregos, prejudica o dia a dia e a normalidade de estudantes e empreendedores, pais de família, o governo faz isso tudo ao mesmo tempo em que entope seu caixa de recursos como nunca antes na história deste estado”, completou o presidente do Progressitas.

Ciro Nogueira disse que em 2020, segundo o Portal da Transparência, dados de 15 de janeiro deste ano, o Piauí recebeu R$ 19 bilhões de recursos federais, seja através de repasses para a saúde e outros ou suspensão/renegociação de dívidas. Só de auxílio assistencial foram R$ 5,7 bilhões. Ou seja, o problema da pandemia nunca foi a falta de recursos para o Piauí.

O governador Wellington Dias disse que o presidente Jair Bolsonaro “confunde e engana” a população ao confundir repasses para o enfrentamento da pandemia com transferências constitucionais da União.

Compartilhar
Siga:
Jornalista e acadêmico de Direito. Editor do portal PI24h. Foi repórter do Portal AZ, 180 Graus e editor do Portal Meio Norte. Editor de política do Jornal Meio Norte. Apresentador e comentarista de política na Rede Meio Norte.

Últimas Notícias

Mais Lidas

Mais Notícias