Polícia quer tornozeleira para mãe da advogada assassinada Izadora

Ananias Ribeiro Ananias Ribeiro

O Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), da Polícia Civil, pediu à Justiça para que Maria Nerci, mãe da advogada assassinada Izadora Mourão, use tornozeleira eletrônica para garantir que ela não tenha contato com testemunhas do crime em Pedro II, a 205 km de Teresina.

No pedido a autoridade policial sustenta que a medida se justifica pelo fato de Maria Nerci continuar solta e ser necessário que não venha a atrapalhar a instrução processual em que foi indiciada como autora assim como seu filho João Paulo Mourão.

Nerci e João Paulo vão responder por homicídio triplamente qualificado por motivo fútil, sem chance de defesa e feminicídio. Maria Nerci também foi indiciada por fraude processual acusada de alterar a cena do crime; e coação de testemunha – de acordo com as provas colhidas a mãe da vítima tentou intimidar pessoas durante a investigação da Polícia Civil.

O crime.. A advogada Izadora Mourão foi morta a golpes de faca no quarto do irmão na casa da família em Pedro II.

A família apresentou a tese de que uma mulher entrou na casa e matou Isadora. O irmão João Paulo foi preso dois dias depois como o principal suspeito do crime após o caso passar a ser investigado pelo DHPP.

Share This Article
Compartilhar:
Jornalista e acadêmico de Direito. Editor do portal PI24h. Foi repórter do Portal AZ, 180 Graus e editor do Portal Meio Norte. Editor de política do Jornal Meio Norte. Apresentador e comentarista de política na Rede Meio Norte.

Últimas Notícias

Mais Lidas

Mais Notícias