Unimed Teresina está entre planos com mais reclamações no País

Ao todo, oito Unimeds estão entre as 20 operadoras com mais reclamações no País
Ananias Ribeiro Ananias Ribeiro

A Unimed Teresina ocupa a 20ª posição entre os planos de saúde com mais reclamações na Agência Nacional de Saúde (ANS) no Brasil. A Unimed Teresina tem nota 72 de insatisfação do usuário, segundo dados do Índice Geral de Reclamação (IGR).


As reclamações de consumidores contra operadoras de planos de saúde atingiram o maior patamar desde o início do monitoramento pela ANS. Ao todo, oito Unimeds estão entre as 20 operadoras com mais reclamações no País. O ranking é liderado pela Unimed Rio com nota 322,4.

No entanto, a Unimed não é uma só – na verdade são operadoras separadas administrativamente, sendo independentes umas das outras, sem vínculo societário ou filiais, que se comunicam através da Unimed Brasil.

O ranking de reclamação da ANS tem 85 operadoras de grande porte; quase metade (42) são de Unimeds. Hoje o grupo tem 19 milhões de clientes em todo Brasil. “Nossa média de reclamação é baixa quando se leva em conta que a Unimed tem 19 milhões de beneficiários e está presente em nove em cada dez municípios”, justificou Glauco Samuel Chagas, superintendente executivo da Unimed do Brasil.

A posição no ranking depende do IGR, um indicador que mede a satisfação do usuário levando em conta a quantidade de reclamações contra a empresa e o número de clientes de cada plano no País. As reclamações contra planos de saúde como um todo quase quadruplicou no Brasil desde que a ANS criou o IGR, em 2018. Esse número era de 15,5 em 2018, atingiu 37 em 2022 e 44,8 nos quatro primeiros meses de 2023. Em julho, atingiu a média anual de 57,6.

Outro Lado

A Unimed Teresina atribui o aumento das reclamações à pandemia e às atualizações periódicas no rol de procedimentos médicos determinados pela ANS. “A determinação do fim dos limites das terapias aumentou muito a demanda”, declara a operadora, que lamenta a “carência de terapeutas ocupacionais no mercado local”, aumentando a “judicialização”.

Para “reverter” a situação, a cooperativa reestruturou sua área de relacionamento, com um projeto, o THEAcolher, que “deverá atender clientes que necessitam de cuidados diferenciados”.

Compartilhar
Compartilhar:
Jornalista e acadêmico de Direito. Editor do portal PI24h. Foi repórter do Portal AZ, 180 Graus e editor do Portal Meio Norte. Editor de política do Jornal Meio Norte. Apresentador e comentarista de política na Rede Meio Norte.

Últimas Notícias

Mais Lidas

Mais Notícias