Com grupo desfalcado, Marden diz que não há problema em apoiar Fábio Novo

Deputado está cada vez mais perto de um apoio a Fábio Novo, pré-candidato do PT em Teresina
Hérlon Moraes Hérlon Moraes

Com seu grupo político totalmente desfacelado após a saída da deputada estadual Bárbara Soares e do rompimento do PSDB com o ex-prefeito Silvio Mendes (União Brasil), o deputado estadual Marden Menezes é o próximo que deve debandar da chamada “Oposição Progressista” em Teresina. O parlamentar está cada vez mais perto de um apoio a Fábio Novo, pré-candidato do PT à prefeitura de Teresina. E não se engane: a oposição fervorosa ao PT que Marden fez nas últimas eleições não vai interferir em nada. “Divergências aconteceram com o PT e vários outros partidos. O meu foco sempre foi a gestão, o modelo de gestão. Não é interesse pessoal. Se há uma boa gestão seja de que partido for, eu não posso ter uma birra por conta de uma sigla”, declarou o parlamentar, que também tem bom diálogo com a base do governador Rafael Fonteles na Alepi.

Livre e a vontade

Da mesma idade que Fábio Novo, Marden Menezes deixa claro que não teme apoiar o petista. Os dois inclusive já tiveram várias conversas sobre o assunto. “Minha relação com o deputado Fábio sempre foi muito boa. Ele nunca me faltou com o respeito. Ele me procurou, a gente conversa sobre política quase todo dia. Não seria entrave. Quando você decide apoiar pré-candidaturas, você confia nas pessoas e nem tanto nos partidos. Isso não é problema. Me sinto livre e a vontade para tomar a decisão que eu e as bases quiserem “, destacou sobre o provável apoio a Fábio.

Ida para o PSD

O deputado confirmou que existe de fato uma aproximação com o deputado estadual Georgiano Neto em municípios do interior onde suas bases coincidem e convergem, no entanto, ainda não há nada confirmado que trocará o Progressistas pelo PSD. Ainda.

Marden e Georgiano
Marden, Georgiano e os vereadores Domingão e Menandro Brito, de Piripiri. Foto: Divulgação

Virou bagunça

Questionado sobre o furacão que abalou o seu grupo político, Marden resumiu da seguinte forma: “o negócio está bagunçado”. O parlamentar acreditava que ainda poderia ter diálogo entre os líderes e a união reinasse, mas não foi bem o que aconteceu. “Eu pensava que conseguia harmonizar, mas força humana nenhuma conseguiu”, afirmou.

Nada de conversa ainda

O presidente do PSDB, Luciano Nunes, ainda não conversou com o ex-prefeito de Teresina, Sílvio Mendes (União Brasil), após o rompimento das duas legendas. Os tucanos não gostaram nada da entrevista dada por Silvio onde ele admitiu ser o pré-candidato do grupo político, que conta também com o Progressistas. Para Luciano Nunes, o PSDB foi destratado nos acordos e, por enquanto, pensar em voltar atrás no rompimento está fora de cogitação. “Muito cedo para qualquer avaliação. Houve quebra de acordo e o PSDB foi destratado”, disse. A única alegria no ninho tucano por enquanto é a chegada do empresário e ex-senador João Vicente Claudino. “Fortalece o partido. Grande liderança política e empresarial”, declarou.

Luciano Nunes
Luciano Nunes, presidente estadual do PSDB. Foto: Divulgação
Compartilhar

Mais Colunas

Últimas Notícias

Mais Lidas